Assista ao show de uma banda em sua cidade de origem, daí você terá a real noção do que ela representa para a cena. Felizmente ao longo dos anos, tive a oportunidade de testemunhar ótimos exemplos, como a Legião Urbana na conturbada e derradeira apresentação na cidade de Brasília, Os Paralamas do Sucesso, no Morro da Urca e O Rappa na Fundição Progresso, ambos no Rio de Janeiro, dentre outros exemplos. No último 21 de maio, ao presenciar o show da Dona Cislene, no festival Rock Sem Fronteiras, adicionei mais um à lista, graças a onda simbiótica envolvendo banda e plateia, em uma troca de energia ímpar, capaz de emocionar e/ou empolgar e corações e mentes.

20160522-_MG_7981Formada Bruno Alpino (vocal e guitarra), Guilherme de Bem (guitarra), Pedro Piauí (baixo) e Paulo Sampaio (bateria), a Dona Cislene possui carisma, show energético e arranjos que agradam roqueiros de várias vertentes. Nunca havia escutado ao vivo o repertório completo, perfazendo o álbum “Um Brinde aos Loucos”, o single a ‘Ilha‘, a nova composição, intitulada ‘Multipersona‘ e a canção ‘Micalatéia‘, que faz parte do álbum “As Melhores Bandas do Mundo”, em comemoração aos XX anos da Cia. Comédia Os Melhores do Mundo, desta vez tive a oportunidade e o resultado foi muito interessante.

20160522-_MG_7310A aventura musical deu início com Paulo Sampaio surrando a bateria, iluminação focada no instrumento e a execução da ágil canção ‘Ego’ que abre o primeiro “Um Brinde aos Loucos”, lançado em agosto de 2014 com mensagem direta sobre sinceridade e simplicidade, palavras que representam bem a Dona Cislene, dali até o fim da apresentação, cada música funcionaria como combustível, inflamando a plateia que não teria mais a funç